Saiba o que a nova pesquisa da Wine Intelligence revela sobre o potencial de mercado do vinho orgânico, biodinâmico, sustentável e outros 9 estilos alternativos

No segundo artigo da série da Winext sobre os vinhos SOLA (Sustentáveis, Orgânicos e de Baixo Teor Alcoólico), apresentaremos 5 das principais descobertas do “Global Wine SOLA Report: Sustainable, organic & lower alcohol wine opportunities”. No estudo, a Wine Intelligence traz um índice de oportunidades dos estilos alternativos nos 11 principais mercados consumidores, além de um estudo de caso sobre o potencial deles no Brasil e na China.

Se você não leu o primeiro artigo da série, não deixe de acessar para conhecer cada um dos 12 estilos alternativos, alguns exemplos de rótulos disponíveis no Brasil, e mais detalhes sobre a elaboração do relatório SOLA.

Para não perder nenhum artigo da série, assine a nossa newsletter logo abaixo, e não deixe de seguir as nossas páginas no Facebook e no LinkedIn

 
 

Vinhos orgânicos e “naturebas” ganham o mundo

Escritor de vinhos e especialista nos biodinâmicos, Monty Walden fez um levantamento em 1999 sobre as vinícolas que haviam adotado as práticas orgânicas ou biodinâmicas em todo o mundo. Os números não foram lá muito expressivos: menos de 1% delas. Ao repetir o estudo em 2018, o britânico chegou a resultados que são representativos do crescimento dos estilos alternativos na indústria global do vinho: quase 5% dos vinhedos já operam com certificação orgânica ou biodinâmica oficial.

É verdade, os grandes entusiastas “naturebas” ainda estão na União Europeia, que abriga cerca de 80% da área global de cultivo de vinhas orgânicas. Dentro da região, 90% deste território está concentrado em apenas três países: Espanha, Itália e França. Hoje em dia, estima-se que 35% dos europeus já consomem vinho orgânico.

 Região do Languedoc-Roussillon (França) é uma das principais produtoras de vinhos orgânicos, sustentáveis e biodinâmicos. (Crédito:  Gérard Bertrand ).

Região do Languedoc-Roussillon (França) é uma das principais produtoras de vinhos orgânicos, sustentáveis e biodinâmicos. (Crédito: Gérard Bertrand).

No entanto, a expansão não tem se limitado ao velho mundo: o consumo dos rótulos orgânicos nos Estados Unidos cresceu a taxas de 10 a 20% entre 2013 e 2016; na Austrália, o cultivo de uvas orgânicas cresceu 120% em apenas 4 anos, entre 2011 e 2014; na China, com muitos vinhedos em processo de conversão para o modelo orgânico – o que leva 3 anos e 4 safras –, a produção deste estilo deve em breve tornar-se a maior do mundo.

Mas o que explica o boom do vinho orgânico?

Segundo a CEO da Wine Intelligence, Lulie Halstead, o crescimento deste e dos outros estilos alternativos no mercado global é baseado numa combinação de “desejos positivos” da parte dos produtores: fazer um vinho mais sustentável e ambientalmente responsável; oferecer aos consumidores opções que fogem do convencional; e atender à demanda de minorias, como os veganos, que desejam produtos coerentes com os seus estilos de vida.

Descobertas do relatório SOLA

Para a elaborar do índice de oportunidades, a Wine Intelligence entrevistou mais de 12 mil consumidores, levando em consideração três quesitos: conhecimento (% de consumidores que conhecem o produto), intenção de compra (% que buscou o produto nos últimos 6 meses e voltaria a faze-lo no futuro) e afinidade (% que concorda que o produto é ideal para o próprio perfil de consumidor).

Baseado nestes dados, o relatório gerou um ranking – o Opportunity Index” – com as subcategorias de maior potencial em cada um dos 11 principais mercados consumidores: Austrália, Canadá, Finlândia, Alemanha, Irlanda, Japão, Nova Zelândia, Portugal, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

  Global SOLA wine opportunity index 2018. Crédito:    WineIQ (Wine Intelligence Quarterly), Q2 2018 | Issue 8   .

Global SOLA wine opportunity index 2018. Crédito: WineIQ (Wine Intelligence Quarterly), Q2 2018 | Issue 8.

Abaixo, confira 5 das principais descobertas trazidas pelo estudo:

1. Vinho orgânico no topo

O vinho orgânico aparece em primeiro lugar no índice de oportunidades, sendo o mais promissor dos SOLA no mercado global. Isso ocorre porque os consumidores e profissionais do setor já estão familiarizados com o conceito dos orgânicos, baseado nos já bem conhecidos selos de garantia e o paralelo que existe com outros alimentos desta categoria – como café, chocolate, frutas e verduras.

2. Sustentabilidade atrai consumidor

Depois dos orgânicos, a grande oportunidade surge com os produtores ambientalmente e socialmente responsáveis: as subcategorias dos vinhos produzidos de maneira sustentável, os ambientalmente amigáveis e os de comércio justo são muito valorizadas pelos consumidores, independentemente de terem ou não uma acreditação consistente.

3. Vai de vinho ou cerveja?

O interesse por vinhos de baixo teor alcoólico faz algum progresso entre os consumidores, mas ainda encontra dificuldades na disputa com outras bebidas que também possuem essa característica – incluindo a cerveja.

4. Só para bom entendedor

A maioria dos consumidores não entende bem o conceito dos vinhos naturais: “afinal, todo vinho já não é natural?” – é o que perguntam. Já o vinho laranja ainda é amplamente desconhecido, e visto com desconfiança em termos de qualidade.

5. “Bio de quê?”

Além de pouco compreendido, o vinho biodinâmico também não tem atraído muito interesse dos consumidores. Ao mesmo tempo, muitos profissionais do setor são céticos quanto à eficácia dos métodos homeopáticos no cultivo das vinhas – como a prática de acompanhar os movimentos da Lua, dos planetas e das estrelas.

 Enterrar chifres de vaca preenchidos com esterco fermentado junto às vinhas é outra das técnicas biodinâmicas (Crédito:  Live-Green-Magazine ).

Enterrar chifres de vaca preenchidos com esterco fermentado junto às vinhas é outra das técnicas biodinâmicas (Crédito: Live-Green-Magazine).

Depois de ler este artigo, você deve estar se perguntando: mas o que é que o relatório revela sobre o Brasil? Até que ponto os SOLA seriam interessantes para o nosso consumidor, e quais das 12 subcategorias são as mais promissoras para o nosso mercado?

Essas serão as questões centrais do próximo artigo da série da Winext! Para não perder, assine a nossa newsletter logo abaixo e siga as nossas páginas no Facebook e no LinkedIn!

Para baixar uma amostra e saber mais sobre o “Global Wine SOLA Report: Sustainable, organic & lower alcohol wine opportunities”, acesse a página da Wine Intelligence.


Para continuar recebendo os artigos da Winext, faça seu cadastro aqui.

Fontes:
- Relatório Global Wine SOLA Report: Sustainable, organic & lower alcohol wine opportunities
-
Revista WineIQ, Q2 2018, issue 8, da Wine Intelligence
-
Artigos Organic, natural, biodynamic... What next for wine? e Why produce organic? da BeverageDaily.com
- Livro A experiência do gosto: o mundo do vinho segundo Jorge Lucki
- Artigo 2018: biodynamics' stiffest test e Monty's 2018 organic/BD audit na página de Jancis Robinson
- Artigo Overview of the Organic Wine Market da Diva Network

Foto capa: Free-Photos on Pixabay